As pessoas é que são importantes!

Gratidão àqueles que nos acompanham.

Estive meditando sobre aquilo que realmente importa na nossa vida, no cotidiano onde vivemos nossas alegrias e tristezas. Sobre o que norteia as nossas atitudes internas e que se expressam em realizações e processos evolutivos.

Puxando o véu de todas as necessidades deste ano e de todas as dificuldades vencidas, o que ficou de melhor?

As pessoas!

Àquelas que nos acompanham e nos dão suporte. Aquelas que estão longe, mas tão perto. Aquelas que nos incitam a superarmos de alguma forma determinadas atitudes e nos ajudam a repensar.

Aquelas que nos vislumbres, percebemos que foram importantes pois com elas tirarmos tantas lições e aprendemos a sermos melhores e a vivermos com mais leveza.

Todas, sem exceção, são importantes!

Aprendi com elas que é preciso sentir todas as emoções, que afinam a nossa relação com a nossa alma.

Recebi todas as orações silenciosas, apesar de não saber de onde vinham.

Todas as bênçãos que a divindade me presenteou, cujo resultado é a alegria e gratidão.

Neste momento em que tudo que é material está desgastado e mesmo quando tudo é muito pouco, porque queremos mais! O que é realmente importante?

O que nos enriquece e nos impulsiona, são as pessoas!

São elas o espelho do nosso Eu, aquilo que nos dá referência interna e externa.

Juntos, movemos o momento Presente!

Juntos, vamos com a onda nos elevando para que cada um encontre o seu caminho.

Juntos, nos direcionamos para o Amor que é a essência daquilo que temos que aprender.

Juntos, estamos criando uma nova Realidade.

Juntos, nos tornamos Seres Humanos.

Maria Helena
Psicoterapeuta de Trauma (Experiência Somática)

AMORE (Falar de amor)

Usei o italiano, porque enche a boca, mas a conotação é emocional.

Quando decidi escrever sobre o amor, percebi como é usado em milhares de conotações, com miríades de cores, nas mais diversas apologias e conceitos.

Pensei, não é sobre o conceitual que vou falar. Não conseguiria defini-lo.

Decidi abordá-lo porque quando se começa a trabalhar através da consciência, percebe-se que pouco ou nada se sabe dele. E esse saber ficou fechado no nosso coração.

Percebi em mim, a duras penas, que quando pensava em tocar e abrir meu coração, um grau de dor aflorava, junto com uma aquela emanação que florescia e que provocava uma abertura.

Como aquela florzinha que abre com a luz do sol e se fecha a tardezinha quando chega a sombra da noite.

Durante a vida somos convidados e desafiados a abrir o coração. Mas o medo não permite que realizemos esse florescimento. Não permite que ouçamos a sua música, a sua magia, aquilo que em nós adormeceu e que poderia nos trazer alegria e júbilo.

Perdemos o contato, ficamos focados na cabeça. Parece banal, mas o amor faz a diferença em nossa vida.

No seu compasso poderíamos deixar cair a máscara, recolher nossos pedaços, olhar nos olhos do outro e enxergá-lo, se doar sem ficar cansado, amar sem ser amado.

Poderíamos acolher a nossa criança, espalhar a criatividade, aceitar nossas contradições. Ser compassivos. Isso inclui o perdão a si mesmo e ao outro, libertando-se da culpa. Deixando a vitimização ser transformada em força e luz.

Sim, poderíamos iluminar a nossa escuridão e irradiar essa luz num grande círculo de ressonância, alimentando os que estivessem nesse circuito.

Mais importante que tudo isso para mim, seria poder encarar a nossa humanidade. Aceitar a cada dia, sem expectativas, com gratidão e bênçãos.

Abrir o coração para a verdadeira paz que jaz bem no profundo do nosso ser.

Seria por fim encontrá-lo.

Maria Helena
Psicoterapeuta de Trauma (Experiência Somática)

YOGA

A união entre o coração e a mente traz a paz. Permite a abertura que é a manifestação do Eu Superior. O Espírito Santo na nossa vida.

Isso é liberdade. Sair do medo para a luz. A luz do amor, na união das polaridades, ouvindo a voz do coração.

Quando Jesus nos deixou a sua paz, ele sabia que seu coração estaria sempre conosco.

Quando nos sentimos sozinhos, perdidos ou isolados de nós mesmos, fechemos bem os olhos e os abramos para o nosso interior. Lá está a luz do coração do Cristo, a luz na nossa porta. Abre a porta e encontrarás a visão da luz no teu coração. Quem abre a porta?

O Amor. E o Amor traz a paz contida na nossa humanidade. Encontramos nossa serenidade porque a porta foi aberta para o Amor que tu és, que sou eu, que somos todos nós. Porque somos todos Um no Amor do Cristo em nós.

Ao nos reconciliarmos com o Amor a paz brota da fonte.

Esse Amor constrói a paz que é União.

União que é o Yoga da Paz.

A paz para todos nós.

Maria Helena
Psicoterapeuta de Trauma (Experiência Somática)

YOGA É O CAMINHO

CAMINHO PARA SI MESMO

A prática leva o aluno à uma interiorização. Essa aprendizagem conduz um contato profundo com os mecanismos que circulam a energia vital, no corpo, produzindo bem estar geral e regulação da respiração.

Outro fator inerente à respiração é a tonificação dos músculos.

Podemos levar nossa consciência através da respiração a qualquer parte do corpo, ampliando sua capacidade de regeneração. Esse contato produz também um aprofundamento da atenção que produz um relaxamento mental e emocional. Esse estado de relaxamento traz muitos benefícios, liberando o corpo de dores de uma forma geral e também de bloqueios que impedem seu movimento.

Ao executar um Asana (Postura clássica da Hatha Yoga), acontece uma expansão no campo energético, cujos resultados se traduzem em mudança reais, quando o aluno ultrapassa os seus limites, traduzindo essa expansão em atitudes positivas na sua vida prática.

Maria Helena
Psicoterapeuta de Trauma (Experiência Somática)

O DESPERTAR NO CAOS

A luz se torna visível porque existe a escuridão.

O caos é um horizonte de possibilidades, porque agora, estamos em contato com a onda de renovação que passa por todo o universo.

Neste momento onde a entropia se torna insuportável, uma grande explosão de luz é possível, mudando a realidade.

Essas leis já existem, são geradas pelo conjunto de experiências que o Cosmos já vivenciou. Nós aqui neste limite da galáxia estamos tendo essa oportunidade.

Estou falando do macro mas, na realidade, essa mudança acontece aqui neste momento, em que vivemos uma vida complicada e que parece sem sentido e sem caminho.

Não! Vamos conectar essas novas possibilidades. Vamos fazer as perguntas que a nossa alma nos apresenta, mesmo não tendo as respostas. O Universo adora perguntas. Ele brinca com isso.

“Universo, o que posso fazer agora para melhorar meu horizonte de possibilidades?”;

“Qual a saída para esse nó que criei na minha vida?”;

“Para onde deve ir?”;

“Quais caminhos me fariam evoluir para o meu melhor?”.

Tenhamos a idade que tivermos, ou experiências dolorosas pelas quais passemos, seremos recebidos com amor pela energia amorosa do nosso ser onde existe o campo das mil possibilidades.

A Física Quântica nos propõe essas leis de mudança. Existem muitos livros que dizem isso. Mas a verdade está dentro de nós e agora estamos envoltos num mar de possibilidades, porque a grande explosão vai se realizar. Vamos sair novamente para a luz, renovados, brilhantes e possivelmente diferentes e melhores no sentido da nossa possibilidade criadora de ser.

Digo melhores porque estaremos aptos a nos proporcionar mais amor, mais sabedoria, mais energia para realizar o que é bom para nós e para todos.

Dê-se o tempo que você precisa para realizar isso na sua vida. Perceba as mudanças. Permita que elas aconteçam. Vamos surfar nessa nova onda das mil possibilidades. Vamos nos aquietar e perguntar. Realizar coisas pequenas que nos fazem felizes. Olhar a nossa volta e dar bom dia a tudo que está aí.

E, quando a renovação emergir, nós estaremos já prontos para sermos embalados por esse movimento da onda e recriados, porque essa é a abertura que o nosso ser está esperando junto com toda a criação.

Seremos despertos.

Maria Helena
Psicoterapeuta de Trauma (Experiência Somática)

YOGA É INTERIORIZAÇÃO

O praticante volta-se para dentro, observando e percebendo o que acontece no corpo com o circular da respiração.

Essa atitude de atenção plena leva a uma percepção de como as emoções, sentimentos e pensamentos influem nos bloqueios que existem do ponto de vista muscular.

Nossos tendões tendem a encurtar-se quando nossos músculos estão tensos. Essa tensão vem dos pensamentos negativos, das atitudes repetitivas e inconscientes que ficaram na nossa memória corporal.

Abre-se um novo horizonte de possibilidades no qual o praticante pode se expressar de forma nova.

É comum haver surpresa após um mês de prática, quando se percebe mais leve e o corpo começa a ficar mais alongado, devido ao trabalho na coluna.

Outro equívoco é pensar que o yoga é monótono e que por isso a academia é mais interessante porque dá mais resultado.

O respirar, o acordar para seu próprio continente de trabalho, que é o seu próprio corpo, funciona de uma maneira orgânica, fazendo com que os exercícios do Hatha Yoga, além de possibilitarem uma completa mudança na estrutura muscular e esquelética, revelem ao praticante, aonde estão os bloqueios mentais e emocionais. Essa percepção permite que haja um equilíbrio entre esses sistemas, trazendo consciência e mudança de postura na prática e na vida cotidiana.

É um meditar acordado. Uma união interna das energias que permitem uma atitude de paz e de harmonia.

Esse voltar-se para seus próprios recursos, permitem uma liberação que cria novas conexões entre o ser e o expressar, livres dos traumas, liberados através das posturas do yoga.

Os resultados serão visíveis e mais do que isso, uma alegria genuína começa a brotar do ser, que está proporcionando ao corpo, essa união.

Maria Helena
Psicoterapeuta de Trauma (Experiência Somática)

YOGA É OPORTUNIDADE DE APRENDER SOBRE O AMOR

Quem diria que o Yoga é a aprendizagem para o Amor?

Aposto que você pensou no amor à outra pessoa. Sim claro que isto é decorrência do aprendizado. Mas, estou falando de outro tipo de Amor. Amor a si mesmo.

Sim, sem esse amor não podemos ser compassivos, não podemos olhar a vida e as pessoas como algo muito precioso e valorizar tudo que está no nosso entorno, nos acolhendo e nos dando suporte para sobrevivermos.

Ao cuidarmos de nós mesmos, ao realizarmos a prática e desenvolvermos as nossas potencialidades internas ao mesmo tempo que realizamos as externas, começa a haver um equilíbrio entre as partes e nossa energia flui de um lado para outro do corpo de forma orgânica, equilibrada.

Essa oportunidade de olharmos para nós mesmos com carinho e cuidado se traduz numa melhora na auto estima. Desta forma começamos a ver os outros e as situações com atitudes menos reativas, encontrando um meio termo entre nossas carências e as carências de nossos semelhantes. Ao ampliar nossa visão, abrindo espaço para novas maneiras de ser e de se relacionar com pessoas e situações, transformamos nossa realidade podendo vislumbrar novas situações e criar novas oportunidades de vida a partir disso.

Maria Helena
Psicoterapeuta de Trauma (Experiência Somática)


NOVAS TURMAS!
Horário das Aulas: 4ª e 6ª feira às 8h30   |   3ª feira às 18h30
Marque seu horário ou tire suas dúvidas com Maria Helena no (11) 98208-9130